SOBRE

Cabeçalho Site Novo ABET 03

ABET – Associação Brasileira de Equitação de Trabalho

Associação fundada para cuidar dos interesses da Modalidade Equitação de Trabalho no Brasil. Modalidade aberta à todas as raças de equinos e muares.

O que é Equitação de Trabalho?

        Modalidade criada por italianos e franceses com o objetivo de reunir, numa única competição, cavaleiros de diferentes países montando cavalos de diversas raças.

A Equitação de Trabalho tem como finalidade demonstrar o trabalho diário de campo, num simulacro de obstáculos e situações reais. O percurso deve ser cumprido com eficiência e segurança. Exige agilidade, entrosamento e equilíbrio entre cavaleiro e cavalo. É praticado por homens, mulheres e crianças.

Como é a prova?

        A competição é composta por quatro etapas distintas, três delas disputadas individualmente – Ensino – Maneabilidade – Velocidade, nas quais o cavaleiro monta sempre o mesmo cavalo. A quarta fase (Prova da Vaca) um prova semelhante ao “Team Penning” somente é disputada nas competições que tenham competições por equipe.

        A fase de Ensino é similar a prova de adestramento e demonstra as habilidades atléticas do cavalo, atendendo aos comandos do cavaleiro.

         A fase de Maneabilidade objetiva pôr em evidência a capacidade do conjunto em superar com tranquilidade, precisão, estilo e regularidade alguns obstáculos que reproduzem dificuldades encontradas no campo.

        A fase de Velocidade é similar a maneabilidade, mas precisa ser cumprida ao cronômetro.

        A fase da Prova da Vaca tem como objetivo a separação de uma rês de um lote e sua condução a outro extremo da pista. 

Quais as Categorias?

Categorias

As competições de provas completas de Equitação de Trabalho estão divididas em 10 (dez) categorias distintas:

1.    Aberta Jovens Cavaleiros (Nível I).

2.    Aberta Amadores (Nível I);

3.    Mirim (Nível I);

4.    Amador (Nível I);

5.    Cavalos Novos A (Nível I); 

6.    Cavalos Novos B (Nível II);

7.    Aspirantes (Nível I) ;

8.    Preliminar (Nível II);

9.    Intermediaria (Nível III);

10.  Principal (Nível IV).  

RELAÇÃO DE OBSTÁCULOS PERMITIDOS PARA CADA NÍVEL  ACIMA RELACIONADO

 Nível I

Porteira ou modelo corda (sem obrigação de fechamento dependendo da competição e categoria);

Redil um lado;

Salto;

Retirar vara;

Coletar argolas de 12 a15 cm de diâmetro;

Depositar vara;

Jarra de água;

Sineta no final do corredor (sem obrigação de recuo dependendo da competição e categoria);

Ponte e

Passo Lateral Simples (uma vara no chão).

 Nível II

Porteira ou modelo corda;

Redil um lado;

Salto;

Retirar vara;

Coletar argolas de 12 a15 cm de diâmetro;

Depositar vara;

Sineta no final do corredor;

Ponte;

Passo Lateral Simples (uma vara no chão);

Baliza em Linha (mudança de pé simples);

2 Tambores (mudança de pé simples) e

Jarra de água.

Nível III

Porteira ou modelo corda;

Redil um ou dois lados;

Salto;

Retirar vara;

Coletar argolas de 12 a15 cm de diâmetro;

Depositar vara;

Sineta no final do corredor;

Recuar em um trajeto em “L ou Z”;

Ponte;

Passo Lateral;

Baliza em Linha (mudança de pé no ar);

2 Tambores (mudança de pé no ar);

Jarra de água;

Apear e

Vala com água.

Nível IV

Qualquer obstáculo descrito no regulamento.

Competições de Tempo Ideal de Equitação de Trabalho

              A intenção de adaptar as provas de Equitação de Trabalho podendo realizar competições de TEMPO IDEAL é dar oportunidade de participação de conjuntos que possuem animais bem treinados e ágeis para lida no campo abrindo assim mais uma porta para o inicio do conjunto na modalidade.

                 As provas de Tempo Ideal de Equitação de Trabalho chanceladas pela ABET, tem como objetivo demonstrar as habilidades do cavalo de sela e a destreza do cavaleiro em conduzir sua montada, em percursos que simulam obstáculos comumente encontrados no dia-a-dia do campo, da melhor forma possível e em qualquer andamento.

        Caso hajam muitos inscritos e limitação de tempo de prova, em determinados eventos, poderá haver etapa classificatória, retornando para a disputa final apenas os melhores conjuntos com os melhores resultados, conforme critério pré-determinado pela comissão organizadora no programa oficial do evento. Nestes casos, os resultados de classificação serão desconsiderados.

        Para efeito de classificação dentro das competições, os conjuntos inscritos deverão cumprir duas fases: Maneabilidade em Tempo Ideal e Velocidade.

        As fases serão cumpridas simultaneamente. O conjunto adentra em pista para a realização da Maneabilidade em Tempo Ideal e, assim que completada a fase, retorna ao inicio da pista para (no mesmo percurso) realizar a fase de Velocidade (Contra o Relógio).

        Os conjuntos que, na somatória das fases (Maneabilidade em Tempo Ideal e Velocidade), atingirem a maior quantidade de pontos serão declarados vencedores.

Categorias para as provas de Tempo Ideal 

*TODAS EM NÍVEL I

Aberta Amadores;

Aberta Jovens Cavaleiros;

Cavalos Novos A;

Mirim;

Amador;

Aspirantes (obrigação de fechamento da Porteira, recuo na Sineta e Passo Lateral);

Aberta (obrigação de fechamento da Porteira, recuo na Sineta e Passo Lateral).

Obstáculos para as competições de Tempo Ideal

  1. Sineta no Final do Corredor Reto ou em “L”;
  2. Passo Lateral;
  3. Bônus;
  4. Salto;
  5. Porteira modelo corda.;
  6. Redil;
  7. Mesa – Jarra D’ Água;
  8. Ponte.